14 de junho é o Dia Mundial do Doador de Sangue. Saiba como doar

 14 de junho é o Dia Mundial do Doador de Sangue. Saiba como doar

Foto: Ministério da Saúde

Em 2023, 1,6% da população brasileira doou sangue pelo SUS

A doação de sangue é um gesto que ajuda a salvar muitas vidas já que a transfusão de sangue é necessária em diversas situações como anemias crônicas, cirurgias de urgência, acidentes que causam hemorragias, complicações da dengue, febre amarela, tratamento de câncer e outras doenças graves. Por isso, é importante ser um doador. 

Nesta sexta-feira (14) é celebrado o Dia Mundial do Doador de Sangue. A data foi instituída em 2005 pela Assembleia Mundial de Saúde e é uma homenagem ao nascimento de Karl Landsteiner, imunologista austríaco que descobriu o fator Rh e as várias diferenças entre os tipos sanguíneos. 

Além de uma forma de agradecer e celebrar as pessoas que já são doadoras de sangue, a data visa conscientizar sobre a importância do gesto. Vale ressaltar que o procedimento é seguro tanto para quem doa quanto para quem recebe. Antes da doação, é realizada uma triagem dos doadores com testes e entrevista.

O Ministério da Saúde lançou hoje a campanha “Toda vida é importante para alguém. Doe sangue, mesmo sem saber para quem”. Segundo o órgão, com mais de 3,2 milhões de bolsas de sangue coletadas no Sistema Único de Saúde (SUS), 1,6% da população brasileira foi registrada como doadora em 2023. A intenção é aumentar o número de doações regulares. Até março deste ano, foram realizadas 731.734 doações no Brasil.

Confira abaixo os requisitos para doar sangue:

  • Estar em boas condições de saúde
  • Ter entre 16 e 69 anos, desde que a primeira doação tenha sido feita até 60 anos (menores de 18 anos, clique para ver documentos necessários e formulário de autorização)
  • Pesar no mínimo 50kg
  • Estar descansado (ter dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas)
  • Estar alimentado (evitar alimentação gordurosa nas 4 horas que antecedem a doação)
  • Apresentar documento original com foto recente, que permita a identificação do candidato, emitido por órgão oficial: RG – Carteira de Identidade física ou cópia autenticada; RG – Carteira de Identidade digital; CNH – Carteira Nacional de Habilitação física, com foto e filiação; CNH – Carteira Nacional de Habilitação digital, com a presença do QR Code. 

 Principais impedimentos temporários

  • Resfriado: aguardar 7 dias após desaparecimento dos sintomas
  • Gravidez
  • 90 dias após parto normal e 180 dias após cesariana
  • Amamentação (se o parto ocorreu há menos de 12 meses)
  • Ingestão de bebida alcoólica nas 12 horas que antecedem a doação
  • Tatuagem, maquiagem definitiva e micropigmentação (sobrancelhas, lábios etc.) se feitas em estabelecimento apropriado (seguro) e com todos os cuidados necessários (assepsia correta e material descartável), o prazo é de 6 meses; caso contrário, o prazo é de 12 meses
  • Piercing ou brinco: se feitos em local sem mucosa, com material descartável e em estabelecimento apropriado, o prazo é de 6 meses; caso contrário, o prazo é de 12 meses 
  • Situações nas quais há maior risco de adquirir doenças sexualmente transmissíveis: aguardar 6 meses
  • Qualquer procedimento endoscópico (endoscopia digestiva alta, colonoscopia, rinoscopia etc.): aguardar 6 meses 
  • Extração dentária (verificar uso de medicação) ou tratamento de canal (verificar medicação): por 7 dias 
  • Cirurgia odontológica com anestesia geral: por 4 semanas
  • Acupuntura: com material descartável/agulha própria, aguardar 24 horas; em procedimento não seguro, aguardar 6 meses; se realizada com laser ou sementes: apto
  • Vacina contra gripe: por 48 horas 
  • Vacina contra Covid-19: 7 dias 
  • Vacina contra Dengue: 4 semanas
  • Viagem ao exterior para os Estados Unidos ou regiões com surto de Febre Amarela impede a doação por 30 dias após o retorno 
  • Europa: quem morou na Europa após 1980, verificar aptidão pelo Alô Pró-Sangue (11) 4573-7800.
  • Doenças: Herpes labial ou genital: apto após desaparecimento total das lesões
  • Herpes Zoster: apto após 6 meses da cura (vírus Varicella Zoster) 
  • Malária: quem esteve nos estados brasileiros com alta prevalência (como Acre, Amapá, Amazonas, Rondônia, Roraima, Maranhão, Mato Grosso, Pará e Tocantins) ou em países endêmicos para malária, aguardar 30 dias após o retorno para doar 
  • Febre Amarela: quem esteve em região onde há surto da doença deve aguardar 30 dias para doar, após o retorno; se tomou a vacina, deve aguardar 04 semanas; se contraiu a doença, deve aguardar 6 meses após recuperação completa (clínica e laboratorial) 
  • Covid-19:
  • Candidatos que apresentaram diagnóstico ou suspeita de Covid-19 estão aptos a doar 1 semana após a cura 
  • Candidatos assintomáticos com teste positivo estão aptos a doar após 10 dias da data de realização do teste
  • Candidatos que tiveram contato com casos positivos de contaminação por coronavírus estão aptos a doar após 7 dias do último contato 
  • Candidatos que fizeram isolamento voluntário ou por orientação médica estão aptos a doar após o término do tempo de indicação de isolamento 
  • Profissionais de saúde estão aptos a doar, desde que estejam fazendo uso correto de EPI. 
  • Dengue:
  • Não hemorrágica: apto a doar 4 semanas após a cura 
  • Hemorrágica: apto a doar 6 meses após a recuperação completa

 Principais impedimentos definitivos

  • Hepatite após os 11 anos de idade*
  • Evidência clínica ou laboratorial das seguintes doenças infecciosas transmissíveis pelo sangue: Hepatites B e C, AIDS (vírus HIV), doenças associadas aos vírus HTLV I e II e Doença de Chagas 
  • Uso de drogas ilícitas injetáveis 
  • Doença de Parkinson.

* Hepatite após o 11º aniversário: Recusa Definitiva. Hepatite B ou C após ou antes dos 10 anos: Recusa definitiva. Hepatite por Medicamento: apto após a cura e avaliado clinicamente. Hepatite viral (A): após os 11 anos de idade, se trouxer o exame do diagnóstico da doença, será avaliado pelo médico da triagem.

Cuidados após a doação

Para quem já doou sangue, é importante respeitar os intervalos. Para homens são 60 dias (máximo de 04 doações nos últimos 12 meses) e para mulheres são 90 dias (máximo de 03 doações nos últimos 12 meses). Confira abaixo as recomendações da Fundação Pró- Sangue:

  • Antes de deixar o banco de sangue, permaneça sentado por, pelo menos, 15 minutos. Coma e beba o lanche oferecido.
  • Ingerir quantidades extras de líquidos nas primeiras 24 horas após a doação. Isto ajuda na reposição do volume perdido. Esta medida é particularmente importante nas primeiras 4 horas após a doação.
  • Evite subidas pesadas e exercícios físicos extenuantes por 12 horas. Isso previne sangramentos e ajuda na cicatrização do local onde a agulha foi colocada e permite que o corpo se ajuste à perda de volume ocorrida na doação.
  • Mantenha o curativo no local da agulha por, no mínimo, 4 horas. Se você notar que o local voltou a sangrar, aplique uma pressão sobre o local por 2-5 minutos e então troque o curativo, mantendo-o por mais 4 horas. 
  • Se, após deixar o banco de sangue, você sentir mal-estar, tontura, fraqueza e sensação de que vai desmaiar, sente-se em qualquer local e coloque a cabeça entre os joelhos ou então, deite imediatamente no chão com as pernas elevadas. Estas medidas evitam quedas da própria altura e aumentam a circulação de sangue na cabeça, aliviando rapidamente os sintomas.
  • Se você acha que existe uma razão pela qual o seu sangue não deve ser utilizado para transfusão e você não pode ou não quis dizer isto durante a doação,  entre em contato o mais breve possível com a Pró-Sangue e solicite que seu sangue seja descartado. O descarte será totalmente confidencial. Isto é de grande importância para a segurança da transfusão do sangue que você doou e dos pacientes que recebem seu sangue. 
  • Não ingerir bebidas alcoólicas e não fumar por 2 horas.

Na ocorrência de febre, diarreia ou outro sintoma de doença infecciosa até 7 dias após a doação, entre em contato com o Hemocentro onde fez a doação. Acesse aqui para saber como agendar e os locais de doação na cidade de São Paulo. Endereços dos hemocentros da Fundação Pró-Sangue podem ser conferidos no site.

Pedido de ajuda

O banco de sangue do Hospital Servidor Público Estadual pede a ajuda de amigos e familiares para virem doar sangue em nome da paciente SONIA ASSIS FERREIRA, matrícula 1713365, para reposição da transfusão realizada. No cadastro é preciso informar o nome e a matrícula do paciente para que o retorno seja registrado. A doação é importante para que o estoque seja mantido em nível adequado. 

Para doar não é preciso fazer agendamento. Basta comparecer de segunda a sexta-feira, das 9h às 16h, e aos sábados, das 8h às 16h (exceto feriados) na Rua Pedro de Toledo, nº 1800 – Vila Clementino – São Paulo. Próximo à estação de metrô AACD-Servidor (Linha 5 – Lilás). Mais informações em: (11) 4573-8166 ou (11) 4573-8249.

Digiqole Ad

Relacionados