Ativista periférico assume a nova Secretaria das Periferias no Ministério das Cidade

 Ativista periférico assume a nova Secretaria das Periferias no Ministério das Cidade

Simões reprodução Twitter

Guilherme Simões, morador do distrito do Grajaú, em São Paulo, será responsável por propor soluções para urbanização de favelas e áreas de risco do Brasil. 

Nesta última terça-feira (24), o Governo Federal nomeou Guilherme Simões, sociólogo, educador popular e ativista do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST)  para chefiar a Secretaria Nacional de Políticas para Territórios Periféricos, uma área inédita na estrutura do Executivo Federal que será amparada pelo Ministério das Cidades, comandado por Jader Filho (MDB). A nomeação foi publicada no Diário Oficial da União.

Simões será responsável por propor soluções para urbanização de favelas e áreas de risco e também de fazer interlocução com as Prefeituras e os Movimentos Sociais. A Secretaria foi criada pela atual gestão de Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

“Enorme honra e responsabilidade! Agora é trabalhar para que as quebradas sejam o centro da nossa política urbana. A periferia veio pra ficar”, escreveu o novo secretário em suas redes sociais. 

O Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) parabenizou em sua conta oficial do Instagram: “O MTST parabeniza  Simões, soma forças e comemora a voz da periferia  ecoando seus direitos e na luta por justiça social”.

Guilherme Boulos (PSOL), deputado federal mais votado em São Paulo nas últimas eleições, que também foi um dos responsáveis pela criação da nova Secretaria, foi o responsável pela indicação de Simões ao cargo.

“A periferia vai ser o centro! Nosso companheiro Guilherme Simões foi nomeado para a Secretaria de Políticas para Territórios Periféricos do Ministério das Cidades. Militante do MTST, do movimento negro e morador Grajaú, a voz periférica vai estar bem representada”, escreveu Boulos em sua conta no Twitter.

Digiqole Ad

Relacionados